Category: Pensamentos soltos

“Escolhe um trabalho de que gostes e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida”

Confúncio. Já todos ouvimos ou lemos esta frase não sei quantas vezes. E já muitos (eu incluída) pensámos “que cliché. se pudesse fazer só o que gosto. e as contas para pagar?” Mas ela está muito certa. E certa em muitos níveis. Devemos sim procurar fazer algo que nos dá

Vamos a contas?

Deveria haver uma cadeira sobre contas poupança de gestão do lar. Ou será que em tempos já houve? Poupar. Gastar. Comprar. Poupar. Controlar. O que tem isto a ver com o ser saudável? O mesmo que escolher aquilo que comemos. Por duas razões: porque não precisamos gastar uma fortuna para

Espiritualidade? Conexão? Presença?

Estar. Só estar. Focado no Agora. Aquilo que as crianças conseguem fazer durante horas quando estão focadas numa atividade e nós adultos parece que perdemos essa capacidade. Vamos crescendo e o “Foi assim”, o “Passado”, as memórias passam a ocupar grande parte do nosso tempo. Muitas das vezes em forma

Arrumar os cantos da casa

Nunca em tempo algum achei que fosse passar tanto tempo em casa como na atual situação. A nossa casa deixou de ser o local para onde voltamos, o “porto seguro”, para ser o centro de tudo. Pelo menos no meu caso tem sido assim. Escritório, ginásio, local de descontração, palco

Porque me mexo?

Numa semana em que começa mais um desafio do Centro de Pré e Pós Parto (CPPP), escrevo sobre o que me move a mexer o esqueleto. Há dias relembrei que eu fui a miúda da avaliação 2 a Educação Física no 1º período do 5º ano… E convenhamos tinha uns

Eu, Mãe, me confesso…

Chego ao final do fim-de-semana, sentada no sofá a pedir mais um dia. Um dia com as crias na escola e com direito ao verdadeiro descanso. Não me levem a mal. Adoro os miúdos, mas sei onde estão os meus limites e reconheço, em mim, as amigas que há uns

“Desejo muita saúde”

Deve ser uma das frases mais desejadas na nossa cultura. Como se a saúde for um mero acaso. Dependesse da sorte. Na verdade até de depende na medida em que nos dias de hoje pouco cuidado temos com a dita cuja. Damos a “saúde” por garantida e levamos uma vida

Eu estou para os outros e os outros estão para mim

Até há muito pouco tempo atrás eu achava que tinha de estar para os outros. E que todos tinham se estar para o outro. Pensar primeiro no outro e depois em mim. Qual acto de puro altruísmo. Até porque a história reza e assim nos ensinam a ser. A dar.

Rir para não chorar? Ou simplesmente sorrir

Hoje na praia com os miúdos, com calma, tempo “parado” e apenas a estar dei por mim a gargalhar. Com aquelas pequenas coisas que elas dizem como sendo verdades absolutas. Na correria do dia a dia são poucas as vezes em que realmente riu com vontade. Não o sorrir por

Estudar ou não eis a questão?

Para ti: mulher, mãe, profissional dedicada, o quanto investes em ti? Desde os tempos de escola o quanto investiste em ti? Não nas formações inerentes à tua função enquanto profissional. Não nos workshops relacionados com o teu bebé. Mas em explorar outras coisas: aquele curso de inglês que sempre quiseste

Create a website or blog at WordPress.com